Energia incentivada x energia convencional: quais são as diferenças

No mercado livre, a energia pode ser contratada através de duas formas: energia convencional ou energia incentivada. Mas você sabe quais são as diferenças e como cada uma delas pode — ou não — ser benéfica para o seu negócio? Este conteúdo vai te ajudar a compreender os dois segmentos e avaliar qual deles é o melhor para o seu caso. Confira!

Particularidades de cada tipo de energia

Com toda certeza, o primeiro ponto a se destacar neste artigo é o fato de que não existe, necessariamente, um tipo melhor e um tipo pior de maneira absoluta. Evidente que, dependendo do tipo de negócio ou consumidor, um pode se sobressair em relação ao outro. Mas é fundamental que fique claro que ambos têm seus benefícios e pontos de atenção que devem ser analisados.

Outro ponto pertinente a se destacar é o fato de que qualquer que seja a sua escolha, pesquise sempre com empresas especializadas em mercado de energia para tomar a sua decisão.

Posto isso, vamos começar nossa análise a respeito das energias incentivada e convencional?

Energia convencional

A Energia Convencional é aquela gerada a partir de fontes não renováveis; isto é, elas não podem ser produzidas e/ou extraídas infinitamente da natureza. É chamada convencional pelo fato de ser gerada em estruturas como hidrelétricas e termelétricas — as mais comuns no mercado.

Esse tipo de energia não concede desconto na Tarifa de Uso de Sistema de Distribuição — TUSD (tarifa de transporte ou transmissão de energia) e tem maior liquidez no mercado livre frente às energias incentivadas.

A energia convencional pode ser fornecida por dois tipos de combustíveis: fóssil e nuclear.

Energia convencional através de combustíveis fósseis e seus benefícios

Combustíveis fósseis, como carvão e petróleo, são as fontes de energia mais usadas no mundo. A forma de energia mais abundante, de fácil acesso e mais barata. Algumas de suas vantagens são:

  • Alta eficiência energética;
  • Reservatórios fáceis de serem localizados;
  • Fácil transporte;
  • Fácil extração e processamento;
  • Baixo custo.

Pontos a serem analisados com atenção

Apesar dos benefícios citados, os combustíveis fósseis são limitados e acabarão um dia. Além disso, também colocam em risco o meio ambiente devido ao processo de mineração e às emissões de gases de efeito estufa produzidos durante a queima do combustível. Podem, ainda, contribuir para efeitos colaterais prejudiciais, como poluição do ar e chuva ácida.

Então, ao optar por energia convencional oriunda de combustíveis fósseis, é fundamental se atentar à:

  • Liberação de gases de efeito estufa;
  • Liberação de gases que provocam chuva ácida;
  • Contaminação da água.

Energia convencional através de energia nuclear e seus benefícios

Esse tipo de energia é gerada através de uma reação nuclear. Isso acontece quando o núcleo de determinados átomos se transformam, provocando uma divisão do núcleo atômico. O urânio é um elemento muito usado na obtenção dessa energia. Suas vantagens são:

  • Alto nível de eficiência;
  • Recurso em abundância (urânio);
  • Baixa emissão de carbono.

Pontos a serem analisados com atenção

Embora o processo de produção de energia nuclear tenha menos emissões de gases de efeito estufa, o crescente número de reatores nucleares coloca em risco a saúde e a segurança das pessoas que vivem perto dessas usinas.

Acidentes podem acontecer, apesar dos sistemas de segurança aplicados aos reatores. Se um vazamento ocorre, o subproduto radioativo da energia nuclear, que é tóxico, pode causar queimaduras e doenças graves.

Um dos principais problemas das usinas nucleares é a falta de instalações para eliminação de resíduos a longo prazo. Os resíduos são armazenados dentro dessas usinas e, mais cedo ou mais tarde, não haverá espaço para contê-los.

Com isso, o ponto principal que deve ser levado em consideração ao escolher esse meio para gerar energia incentivada é:

  • Potencial de vazamento.

Quem pode contratar energia convencional?

No mercado livre de energia, esse produto pode ser contratado apenas pelos consumidores livres. Para atingir essa condição, é necessário que cada unidade consumidora apresente demanda contratada mínima de 1.500 kW — valor atualizado através da Portaria 465/2019 e que entrou em vigor a partir do dia primeiro de janeiro de 2021.

Além dos pontos de atenção já destacados, vale reforçar que, ao optar por fonte de energia convencional, o consumidor não tem direito ao desconto na Tarifa de Uso de Sistema de Distribuição — TUSD.

Energia incentivada

As Energias Incentivadas foram criadas com o intuito de promover o desenvolvimento das fontes alternativas no processo de geração de energia — daí o conceito de incentivo. Estabelecidas pelo Governo, elas estimulam a expansão de geradores de fontes renováveis, como Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), Biomassa, Eólica e Solar. O comprador desse tipo de energia pode receber descontos de até 100% na tarifa de uso do sistema de distribuição.

Os inúmeros benefícios da energia incentivada

Pelo fato de ser um tipo de energia obtida através de fontes renováveis, seus benefícios englobam aspectos ambientais, econômicos e sociais. Optar por energia incentivada pode, por exemplo, desenvolver a economia local através da geração de empregos e segurança na distribuição de eletricidade.

Ela também é muito menos custosa para o consumidor. Além de pagar menos em suas tarifas, ele ainda recebe energia limpa, de qualidade e que colabora para a construção de um futuro mais saudável ambientalmente.

Para estimular os investimentos em fontes limpas e renováveis de energia elétrica, a regulamentação do setor concede um desconto nas Tarifas de Uso dos Sistemas de Transmissão (TUST) e de Distribuição (TUSD) para empreendimentos solares, eólicos, à biomassa, a biogás e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs). O abatimento pode ser de 50%, 80% ou 100%, de acordo com a fonte.

Ao final de 2019, 1.541 usinas possuíam direito a esses descontos, com 31.240 MW em capacidade instalada. Os consumidores especiais do mercado livre podem contratar seu suprimento somente com energia incentivada.

Energia hidráulica proveniente de PCHs é uma das principais fontes de energia incentivada no Brasil.
Energia hidráulica proveniente de PCHs é uma das principais fontes de energia incentivada no Brasil.

Pontos a serem analisados com atenção na energia incentivada

Pode parecer que a escolha por energia incentivada tenha somente benefícios. Contudo, alguns pontos devem ser levados em consideração ao optar por esse tipo de energia.

O primeiro deles é a vital compreensão por parte de todos de que mesmo que renováveis, essas fontes não são inesgotáveis. Algumas delas, como o vento e a luz solar, são permanentes. Mas outras, como a água, podem acabar caso não adotemos um consumo consciente.

Dê sempre preferência às empresas e/ou estruturas cadastradas como agentes na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). A entidade é responsável pela comercialização de energia elétrica no Brasil. Optar por qualquer tipo de energia que provenha de instituições não ligadas à CCEE pode ser severamente custoLS

COMPARTILHAR

CATEGORIA

ARQUIVOS

ARQUIVO
focus_energia_logo
powe

Av. Magalhães de Castro 4800 Continental Tower – 9ºandar | Cidade Jardim São Paulo | CEP: 05676-120 | Telefone: + 55 11 3136-0011

© Focus Energia 2021. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Agência Digital em Campinas

© Focus Energia 2017. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Agência Digital em Campinas

Open chat
Fale com nossa área comercial