Demanda contratada: o que é e como gerenciar?

Rede elétrica de uma grande empresa

De acordo com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), demanda contratada é a “demanda de potência ativa a ser obrigatória e continuamente disponibilizada pela distribuidora, no ponto de entrega, conforme valor e período de vigência fixados em contrato”.

Esse valor deve ser pago integralmente, mesmo se a demanda de potência ativa — expressa em quilowatts (kW) —, não for utilizada durante o período de faturamento.

Saiba como identificar se a demanda contratada está adequada e entenda como fazer a gestão correta.

Entendendo o que é demanda

Se você possui uma empresa com um consumo de energia elétrica elevado, com toda a certeza em sua fatura existe um item chamado “demanda”.

Dividido entre demanda contratada e demanda elétrica, esse valor faz toda a diferença na hora de planejar a gestão de energia de sua empresa a fim de buscar economia de custos e consumo eficiente de eletricidade.

Demanda elétrica

Para melhor compreensão do que é de fato a demanda contratada, é interessante adentrarmos em outro item primeiro: a demanda elétrica.

Esse valor representa a quantidade de potência em kW que um determinado equipamento necessita da rede elétrica para funcionar.

Então, quando falamos de demanda elétrica, falamos de quanto um equipamento irá exigir de determinada rede para poder trabalhar.

Se pensarmos que existem indústrias e empresas que utilizam inúmeros equipamentos — de funcionamentos variados —, podemos dimensionar a importância de medir e controlar esse índice.

Demanda contratada

Entendido o que é a demanda elétrica, torna-se mais fácil contextualizar o que é demanda contratada.

Vamos usar o mesmo exemplo que utilizamos acima.

Imagine uma indústria, com diversos equipamentos diferentes. Quando ela inicia sua operação, precisa, obrigatoriamente, assinar um contrato com uma fornecedora de energia, seja no Ambiente de Contratação Regulada ou no Ambiente de Contratação Livre.

Nesse contrato, é necessário ser informada a demanda elétrica que a empresa precisará para as suas operações.

A esse valor, dá-se o nome de demanda contratada.

Com isso, as partes — consumidora e fornecedora — estipulam o quanto de demanda de energia elétrica a distribuidora disponibilizará de forma contínua.

É fundamental uma análise assertiva tanto de demanda elétrica quanto de demanda contratada, para que, durante o funcionamento do negócio em questão, não haja falta de eletricidade, causada principalmente pela interrupção de fornecimento.

São valores importantíssimos e que podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma empresa.

Outro fator importante a se destacar é o de que o consumidor deve pagar pela demanda total acertada em contrato, independentemente de utilizá-la em sua totalidade ou não.

O princípio básico de se medir a demanda contratada é garantir que, em termos de energia elétrica, a empresa terá seu funcionamento coberto.

Após esse cenário, uma das principais dúvidas que pode surgir é: demanda contratada significa demanda elétrica máxima?

Nem sempre.

Utilizando novamente o exemplo de uma grande indústria, que pode ter variadas máquinas, mas que não funcionariam necessariamente ao mesmo tempo, diferenciando os valores de demanda elétrica máxima e demanda contratada.

O contrato de uma demanda de energia

Como vimos, o valor de demanda de energia elétrica deve ser estipulado em contrato.

Isso porque, em nosso sistema elétrico, existem unidades que são ligadas direto na alta tensão — tensão superior a 1000 volts em corrente alternada ou 1500 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra — e que demandam cuidados específicos para que não causem sobrecargas no sistema.

Além disso, é em contrato também que fica estabelecido se determinada empresa necessitará de uma demanda contratada para todos os horários do dia — a conhecida tarifa horária verde — ou se irá necessitar de demanda para o horário de ponta e o horário fora de ponta — tarifa horária azul — com valores diferenciados para cada horário.

Engenheiro eletricista trabalha para definir demanda elétrica de uma empresa
Demanda contratada: item primordial no planejamento financeiro de uma empresa.

Como gerenciar?

Tendo em vista a grande importância que esse item tem no planejamento financeiro de uma empresa, naturalmente surge a dúvida sobre como gerenciar, analisar e formalizar a demanda contratada.

Para tanto, existem profissionais exclusivos que analisam, quantificam e consolidam esses valores, sempre com base nas cargas do contratante.

Contudo, mesmo com a existência de especialistas no assunto, possuir um histórico de consumo, de no mínimo um ano, possibilita uma análise mais perto da realidade e muito mais assertiva.

Mas, e se for uma empresa nova, sem histórico de consumo? Nesse caso, a demanda contratada é estabelecida a partir de análises e provisões de projetos.

Mais um motivo para delegar esse estudo a um agente especializado.

A Focus atua, entre outros serviços, como gestora de energia e possui uma longa experiência e bom relacionamento com o mercado energético brasileiro.

Realizamos atendimento sob medida para identificar oportunidades a partir das necessidades de nossos clientes, propondo as melhores soluções em demanda contratada através de uma análise individualizada da conta de cada cliente, em variados segmentos de mercado, proporcionando uma gestão eficiente e clara.

É possível alterar a demanda contratada?

É comum, também, o surgimento de dúvidas relacionadas à alteração na demanda contratada.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o consumidor tem até 3 ciclos de faturamento — o equivalente a 90 dias — para pedir alteração no valor da demanda contratada estipulada no projeto.

Para a entidade, esse prazo funciona como um período de “teste” para o consumidor. É possível prorrogar esse período de avaliação, mas deve ser solicitado junto à concessionária e justificado.

Caso a avaliação nesses 90 dias ainda não seja satisfatória e a prorrogação do prazo não tenha sido aceita, também é possível solicitar alteração na demanda contratada uma vez a cada 12 ciclos de faturamento — o equivalente a 365 dias —, cabendo à concessionária aceitar ou não, dentro de um prazo de 30 dias.

É importante ressaltar que nesses procedimentos o acompanhamento de uma equipe especializada também é primordial. Análises minuciosas, conhecimento de mercado e bom relacionamento entre os agentes fazem toda a diferença.

Demanda contratada e consumo são a mesma coisa?

Essa também é uma dúvida bem presente quando se fala de demanda contratada.

Como estamos quantificando um número específico, naturalmente há uma confusão entre o que é consumo e o que é demanda.

Demanda contratada é uma potência, um valor fixo, com unidade de medida em kW.

Já consumo é a potência vezes o número de horas, um valor variável, tendo como unidade de medida o kWh.

Focus: gestão energética eficiente

Com sólida atuação e mais de 15 anos de experiência no mercado brasileiro de energia, trabalhamos para gerar desenvolvimento e para ampliar as capacidades de produção energética, trazendo aos nossos clientes as melhores oportunidades.

Atuando em quatro segmentos, trabalhamos de maneira individualizada para proporcionar os melhores resultados em comercialização de energia, gestão de energia, Geração Distribuída e geração de energia.

Conheça mais sobre a Focus através de nossas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas soluções e todas as novidades do mercado brasileiro de energia.

Focus, energia para a vida.

COMPARTILHAR

CATEGORIA

ARQUIVOS

ARQUIVO
focus_energia_logo
powe

Av. Magalhães de Castro 4800 Continental Tower – 9ºandar | Cidade Jardim São Paulo | CEP: 05676-120 | Telefone: + 55 11 3136-0011

© Focus Energia 2021. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Agência Digital em Campinas

© Focus Energia 2017. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Agência Digital em Campinas

Open chat
Fale com nossa área comercial